Infertilidade Masculina

Infertilidade Masculina

12/04/2017

 

O que  é?

A infertilidade é a incapacidade de um casal em conceber uma criança tendo relações sexuais frequentes e desprotegidas durante, pelo menos, um ano. Esta condição afeta 15% dos casais e, em metade destes casos, a infertilidade masculina desempenha um papel relevante.

 Quais as causas?

A infertilidade masculina deve-se a uma reduzida produção de espermatozóides, função e/ou motilidade espermática anormal ou a obstruções que impeçam a incorporação dos espermatozóides no esperma.

A infertilidade masculina pode ser causada por uma série de problemas de saúde e tratamentos médicos, tais como: varicocelo, infeções (ex. gonorreia), inflamações da região genital (orquite e epididimite), criptorquidia, ejaculação retrógrada, produção de anticorpos dirigidos contra os espermatozóides, tumores, desequilíbrios hormonais, defeitos ou obstruções do trato genital masculino, defeitos cromossómicos (ex. Síndrome de Klinefelter), doença celíaca e o uso de certas medicações (ex. quimioterapia e esteroides anabolizantes).

A exposição excessiva a certos elementos ambientais, tais como calor (ex. uso de saunas, jacuzzis e roupa muito justa), toxinas e substâncias químicas pode reduzir a produção e/ou a funcionalidade dos espermatozóides.

Alguns fatores relacionados com o estilo de vida podem ser responsáveis pela fraca qualidade dos parâmetros seminais, como é o caso do consumo excessivo de álcool, uso de esteróides anabolizantes ou drogas (cocaína e marijuana), tabagismo, stress emocional e obesidade.

 

Como diagnosticar?

O diagnóstico de infertilidade masculina é um processo complexo para o qual pode ser necessária a realização de vários exames complementares de diagnóstico. A abordagem inicial deste diagnóstico tem como objetivo avaliar se existe ou não alguma anomalia nos parâmetros seminais e contempla, necessariamente, a análise do esperma (espermograma).

 

Em que consiste o espermograma?

O espermograma é uma análise que permite quantificar e avaliar a viabilidade dos espermatozóides em estudos de infertilidade ou avaliar a eficácia de uma vasectomia. Compreende o exame macroscópico do esperma, em que se analisam as características físicas como a aparência (cor e aspeto), liquefação, viscosidade, volume e pH e o exame microscópico para avaliação semi-quantitativa da presença de células germinativas imaturas, células epiteliais do trato genito-urinário, leucócitos e eritrócitos (exame citológico), motilidade, vitalidade, morfologia, concentração e número total de espermatozóides no ejaculado.

 

Os nossos Laboratórios fazem espermogramas?

Sim, os nossos Laboratórios fazem espermogramas seguindo os mais recentes critérios para Análise e Processamento de Sémen Humano da Organização Mundial de Saúde (OMS 2010).

 

Por Pedro Saavedra (Técnico Superior de Análises Clínicas)